quinta-feira, 11 de setembro de 2014

IPEM-SP realiza regularização de taxímetro

Os taxistas de Peruíbe já podem consultar no site do IPEM-SP (www.ipem.sp.gov.br) as datas dos plantões, voltados especificamente àqueles que precisam validar o instrumento após mudança de veículo, troca ou reparo. A próxima ação está programada para 16 de setembro, sendo o ponto de partida a Avenida da Praia, em frente ao quiosque 36, no Centro.

No caso dos plantões de regularização de taxímetro, somente os taxistas que precisam validar o instrumento após mudança de veículo, troca ou reparo do taxímetro devem comparecer. O IPEM-SP também realiza, periodicamente, a verificação anual – ação de participação obrigatória a todas as categorias de táxi.

Os taxistas autuados por trafegar com o taxímetro irregular têm dez dias para apresentar defesa ao órgão. As multas podem variar de R$ 500 a R$ 5 mil, dobrando na reincidência.

Para agendar o atendimento é necessário acessar o site do IPEM-SP e emitir a GRU (Guia de Recolhimento da União) para o pagamento da taxa de verificação. Sem o agendamento online e a taxa quitada, o atendimento não é realizado.

Na data da verificação, o taxista ou responsável pelo veículo deve apresentar os seguintes documentos:

- alvará de estacionamento fornecido pela prefeitura;
- certificado de propriedade do veículo;
- certificado de verificação do IPEM-SP, referente ao exercício de 2013;
- GRU quitada;
- comprovante de endereço;
- guia de serviço fornecida por oficina credenciada pelo IPEM-SP

Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (13) 3235-7815 ou pessoalmente na Sede da Delegacia de Ação Regional do IPEM-SP em Santos, localizada à Rua Amazonas, 83, no Campo Grande.

Para identificar se o taxímetro foi verificado pelo IPEM-SP, o consumidor deve observar a existência do lacre amarelo, que impede o acesso à regulagem do aparelho, e do selo do Inmetro com a frase “verificado até 2015”. Caso o lacre esteja rompido, o consumidor não deve aceitar a corrida, pois o aparelho pode apresentar medição incorreta”.

O valor da bandeira é estabelecido pela prefeitura de cada município, mas é importante estar atento ao horário em que as bandeiras ‘um’ e ‘dois’ podem ser utilizadas, para não pagar mais caro pela corrida.


O consumidor que notar irregularidades ou tiver dúvidas pode realizar denúncia na Ouvidoria do IPEM-SP por meio dos telefones 0800 013 0522 (São Paulo) e (11) 3581-2019 (outras localidades) e do e-mail ouvidoria@ipem.sp.gov.br.

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Prefeitura de São Paulo proibi aplicativo de “carona”

Carros do app são julgados como táxis clandestinos.

O aplicativo Uber que permite motoristas particulares a oferecerem carona paga é proibido na cidade de São Paulo.
Desde o seu lançamento, o Uber vem gerando bastante polemica, principalmente entre os taxistas e cooperativas de táxis.

Por meio do aplicativo, disponível para iPhones e celulares Android, passageiros podem pedir caronas. O valor a ser pago pelo trajeto é contabilizado pelo próprio aplicativo, que também efetua os pagamentos, feitos com cartão de crédito.
Normalmente o serviço é feito por motorista que não são preparados e o custo da viagem a acaba saindo mais caro. O A equipe do JT fez um teste com o aplicativo do Metrô Shopping Santa Cruz até a sede do Jornal (Rua estado de Israel 819-vila Clementino) o percurso normalmente sai por R$10, 00, pelo app custou R$21,00.

A prefeitura pedirá a suspensão do programa sob o argumento de que ele motiva motoristas sem autorização a fazerem o transporte de passageiros, atividade que só é permitida ser feita por taxistas de acordo com a lei federal nº. 12.468.

Os 105 agentes do DTP (Departamento de Transportes Públicos) foram orientados a ficar atentos aos modelos mais usados no serviço, como Hyundai Azera, Toyota, Corolla e Ford Fusion.

Três motoristas já foram flagrados e tiveram os carros apreendidos; Após os fiscais constatarem que os motoristas não possuíam autorização para transportar pessoas, os carros foram levados para o pátio do DTP. Depois do pagamento das multas, os veículos foram liberados. Os condutores parados no Tietê e em Congonhas pagaram R$ 2.443,42 (multa de R$ 1.800,47 mais R$ 642,95 de taxa de remoção e custo de estadia) e o da Barra Funda teve que desembolsar R$ 2.520,22 (multa de R$ 1.800,47 mais R$ 719,75 de taxa de remoção e custo de estadia). Caso haja reincidência, o valor da multa dobra.


“A questão central desse aplicativo da Uber é que eles usam o argumento de que estariam dando carona, mas, no final da carona, as pessoas têm que pagar. Quando você paga por um serviço, passa a ser uma atividade economia. É um transporte individual remunerado. No nosso entendimento, um aplicativo como esse, está promovendo uma atividade clandestina, não deveria ficar sendo disponibilizado dos serviços de internet”, disse Daniel Telles, diretor do Departamento de Transporte de Passageiros (DTP).

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Greve de ônibus em Mauá

O terminal de ônibus no Centro de Mauá permanece fechado e com cartazes avisando a paralisação por tempo indeterminado

Os motoristas e cobradores de ônibus de Mauá, no ABC paulista, realizam uma paralisação após a viação Cidade de Mauá deixar de pagar a rescisão e direitos trabalhistas de alguns funcionários que haviam sido demitidos.

Em solidariedade aos grevistas os funcionários da Empresa Auto Ônibus Santo André também aderiram ao movimento.

Atualmente, duas empresas de ônibus operam em Mauá, mas uma delas vai deixar de operar. Com isso, os funcionários serão demitidos e recontratados por uma nova empresa. No entanto, os funcionários não receberam os direitos trabalhistas após a demissão. Procurada, a empresa disse ainda não ter um posicionamento sobre a questão.
O prefeito de Mauá, Donizete Braga, disse o processo de substituição de uma empresa de ônibus por outra está sendo realizado há 1 ano e meio e que a Prefeitura fez o possível para evitar essa situação.
Mas de 100 mil pessoas com dificuldades no transito devido a paralisação.



Em 11 de agosto, funcionários da Cidade de Mauá já haviam realizado uma greve pelo mesmo motivo porém o acordo que o dono da viação propôs não foi cumprido.

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Guarulhos tem aplicativo de táxis para o próprio município

 Cooper Guarulhos prestará atendimento exclusivo a cidade

O aplicativo que visa facilitar a vida dos usuários trazendo conforto e segurança, além de coibir a invasão de taxistas de outras regiões que usam outros aplicativos que representam a capital.

De acordo com o presidente da cooperativa, Alexsander Negrão, desde a sua implantação houve crescimento na demanda de atendimento.

"O aplicativo Cooper Guarulhos foi criado para coibir o atendimento prestado por taxistas de outros municípios que utilizam dos aplicativos 099 e Easy Táxi. Aliás, o passageiro que se utiliza destes aplicativos não estão seguros quanto aos seus pertences, diferente de nós que asseguramos", declarou Alexsander Negrão.

"O objetivo desta iniciativa é de proporcionar ao passageiro maior segurança e comodidade, até por que ele não precisa acionar a nossa central para acompanhar o atendimento. É tudo em tempo real pelo seu celular", destacou Negrão.

Segundo Alexsander, a demanda pela prestação de serviço realizada pela cooperativa teve um acréscimo de aproximadamente 4% desde a implantação do aplicativo. No último mês, a empresa, por meio da ferramenta realizou cerca de 900 atendimentos. Com 280 veículos, a Cooper Guarulhos realiza 2000 corridas diárias.

"Ainda não existe um bloqueio para atendimentos fora do nosso perímetro de atuação (Guarulhos), mas o passageiro que estiver na cidade terá acesso aos nossos veículos pelo aplicativo. Caso um de nossos carros esteja em outro município e seja acionado, indicaremos veículos de empresas daquela região", encerrou.


Cooper Guarulhos
(11) 2412-9100

Endereço:
Conego Valadão, 1095 - Vila Augusta
Guarulhos SP - CEP 07004-000


 

Campanha

Campanha